Conto: As Seis Forças

Hora do Duelo
Hora do Duelo

Recentemente conheci o dice game nacional “Duelo de Dados”. Criado pelo capixaba André Luiz Negrão, o jogo é fácil, barato e acessível para vários tipos de público, além de ser divertidíssimo!

Empolgado com o vídeo de demonstração (esse aqui), me veio um daqueles surtos criativos inexplicáveis, e em pouco mais de duas horas durante uma madrugada insone, escrevi o conto As Seis Forças, que você lê abaixo (ou se preferir, pode baixar nesse link)

Continuar lendo “Conto: As Seis Forças”

Conto: Guts

Qual é sua cenoura invisível?

Sempre fui fã de O Clube da Luta. Aquele estilo de narrativa minimalista, onde tudo pode acontecer e as pessoas tratam as pequenas bizarrices dos personagens com nojo ou desprezo, e onde o ser humano mostra que é sim capaz de qualquer coisa, por pior que essas coisas sejam. Isso me atraiu desde a primeira vez que assisti. E essa semana, lendo o blog Sonata do Torinks, me deparo com um conto no mesmo estilo e do mesmo autor de O Clube da Luta, Chuck Palahniuk.

O que mais me chamou a atenção foi a descrição do conto, retirado da Wikipedia. Reproduzo aqui o trecho:

A edição de Março de 2004 da revista Playboy publicou um conto de Chuck Palahniuk intitulado Guts (que integra o seu último livro, Haunted). Quando da sua digressão em 2003 para promover o romance Diary, o autor leu o conto para as audiências. Alegadamente mais de 35 pessoas desmaiaram ao ouvir a leitura, embora os eventos sejam factuais, a veracidade das reacções é bastante discutida.

Continuar lendo “Conto: Guts”

Conto: A Última Pergunta

Voltando com mais um conto pra vocês, leitores do ZUADA!. Dessa vez, uso de minha atual leitura e mostro o conto MAIS F*DA EVER FOREVER que eu já li, escrito por ninguém menos que Isaac Asimov, o mestre da ficção científica. Cara, juro pra vocês que a primeira vez que eu li esse conto, eu quase choro. Como é que o cara pode ser TÃO genial assim? Depois, eu reuni uma moçadinha mais nova e li esse mesmo conto, numa roda de amigos. E no final, todos se arrepiaram! Se você já conhece, divulgue pra quem não leu. E se … Continuar lendo Conto: A Última Pergunta

Conto – Toda a Dor que eu Sinto

Mais um conto para a galera, essa é do tempo que eu escrevia fanfics de Harry Potter (se bem que eu tenho uma pra terminar, mas o tempo não está permitindo, então…) “Toda a Dor que eu Sinto” é uma Songfic – uma história que tem uma música no meio. Não gosto muito de escrever coisas desse tipo, mas eu me empolguei com a tradução de “Israel’s Son”, do Silverchair, e saiu essa. Escolhi postá-la não só porque fui eu que escreveu. Considero essa fic – ou conto, como passarei a chamá-lo – uma de minhas melhores criações até agora. … Continuar lendo Conto – Toda a Dor que eu Sinto

Conto – Para Nunca Mais Ter Medo…

    Como leitor criado com a finada DRAGÃO BRASIL – cuja edição #1 eu comprei NAS BANCAS em 1993 – aprendi a gostar de ficção com os contos lá publicados. E eles iam desde os clássicos que lembravam o mestre Isaac Asimov, quanto as surpreendentes tramas de Roberto de Sousa Causo, a quem pertecem as melhores estórias lá publicadas. Mas havia uma que me marcara profundamente: Uma em que os personagens tinham um símbolo de infinito tatuado no pulso esquerdo, sinal de que haviam passado pela ressucitação. Me marcou tanto, que essa tatuagem no pulso ainda está na minha … Continuar lendo Conto – Para Nunca Mais Ter Medo…