Game of Thrones, Powered By Fate

Roupa Nova – Fate of Thrones (1ª Parte)

Saudações a todos os RPGistas que ainda não abandonaram a causa do Zuada! aqui no blog.

Eu sei que tinha muitos projetos prometidos aqui no zine, mas essa vida corrida de estudante, trabalhador e marido vem alterando toda a minha rotina. Muitos projetos ficaram engavetados; outros, eu alterei certas mecânicas para adequar melhor os sistemas. Cyberdragon, por exemplo, está parado. No entanto, Dragontech vai bem, obrigado (inclusive com registro autoral confirmado).

Skoldfeld está se tornando um cenário para Fate. Portanto, ele vai continuar aqui, crescendo no blog mesmo, sem pretensões de mercado (embora eu esteja escrevendo contos com Skoldfeld como cenário de fundo). Enquanto certos fatores como mitologia primária e idioma vão surgindo, eu vou preparando a campanha.

Explicados os fatos, vamos colocar a mão na massa… quer dizer, nos dados!

Antes de qualquer coisa, você precisa saber o que é o Fate. Eu já dei o link original da Evil Hat, onde todos os produtos originais do Fate podem ser baixados em pdf e e-pub de forma gratuita. Se você não lê em inglês ou não acha cômodo, tem o blog do Fábio Silva, o Fate RPG Brasil. Sugiro a todos dar uma passada lá pra ficar antenado no universo Fate. Vai lá, eu espero.


Agora que você voltou, vamos começar o trabalho. O primeiro jogo que vou adaptar para Fate é o Game of Thrones. Sim, eu gosto do sistema original, adoro a mecânica de Intrigas e Guerra daquele módulo básico. No entanto – e parem de culpar a Jambô por isso, pois os nossos produtos têm mais suporte que os originais -, percebemos que não há muito material oficial disponibilizado por aí. O Jefferson Pimentel  liberou umas regras não-oficiais muito boas para dragões, magia e outros fatores importantíssimos em Westeros e pouco explorados no RPG (um crime, na minha opinião).

Eu cheguei a utilizar essas regras e percebi que são muito boas (sim, tenho que gastar um ponto de Destino para mudar de rosto. Tu já viu o Jaqen mudar de rosto quantas vezes nos livros?). O autor tenta ao máximo manter a fidelidade ao cenário, e deixa tudo bem-organizado. Resumindo: quem é fã sabe o que faz!

E para não ficar só na falácia, aqui está o documento disponibilizado pelo Jefferson:

BAIXA ESSA BUDEGA AQUI


Voltando à nossa temática:

O que você tem em sua tela agora é o início da adaptação de Game of Thrones para Fate, que carinhosamente chamaremos, a partir de agora, de Fate of Thrones. Se você não sabe o que é Game of Thrones, entra nesse link que acabei de postar e fique por dentro. Claro, você também deveria ler mais notícias (se tu nunca ouviu falar disso, o que está fazendo num blog de RPG????) e voltar pro nosso planeta, pois está perdendo o melhor da festa.

Eu vou dividir este post em algumas partes. Não, não sei em quantas ainda. Deixe de ser chato.


Fate e FAE

Fate of Thrones vai usar a mecânica dos dois sistemas principais do Fate: o Core e o FAE. No blog citado acima tem explicações sobre ambos os sistemas. Usaremos FAE para as Casas de Westeros e personagens menores, enquanto o Core fica pros personagens dos jogadores.

As Casas de Westeros

Antes de falarmos sobre o personagem em si, vamos mostrar a mecânica das Casas, pois o cenário de Crônicas de Gelo e Fogo possui o foco nelas, primeiramente. Tudo em Westeros tem o dedo de uma Casa ou duas (ou de todas, como no caso da Guerra dos Cinco Reis), e fazer as alianças certas garante a sobrevivência dos personagens.

Casas são consideradas personagens. Elas possuem Abordagens, Aspectos e Façanhas, exatamente como um personagem de FAE. Contudo, as Abordagens de uma Casa são relacionadas a seu papel no território e no Jogo dos Tronos:

Nome e Local

Antes de criar uma Casa, você precisa definir seu território e a qual Reino ela está subjugada. Cada Reino tem suas peculiaridades, que se traduzem em Aspectos próprios e bônus para certas Abordagens.

Uma Casa pode ser o centro do jogo, ou cada jogador pode criar a sua própria Casa. Ainda, você pode optar por não dar uma aliança prévia dos jogadores a uma Casa. Neste caso, pule esta etapa e aguarde pela segunda postagem…

Abaixo segue uma lista dos Reinos disponíveis às Casas dos jogadores. Não vou me estender aqui, pois existe muita informação sobre Westeros na internet. O que vou mostrar tem a ver com as regras de jogo:

  • Dorne: Região mais sul de Westeros e governada pela Casa Martell, +1 na abordagem Combativa ou +1 na abordagem Estudiosa;
  • A Campina: Localizada na parte sudoeste de Westeros, é o lar dos Tyrell. +1 na abordagem Influente ou +1 na abordagem Combativa;
  • Terras da Tempestade: Governadas por Stannis Baratheon, as Terras da Tempestade são a parte sudeste de Westeros. Uma pequena e inóspita região, porém bem-fortificada. +1 na abordagem Combativa ou +1 na abordagem Honrada;
  • Terras da Coroa: São as terras governadas diretamente pelo Trono de Ferro. Atualmente o governo é dos Lannister e dos Baratheon (pelo casamento de Robert com Cersei). +1 na abordagem Influente ou +1 na abordagem Combativa;
  • Terras Ocidentais: governadas pelos Lannister de Rochedo Casterly. É onde estão localizadas as minas de ouro e prata mais importantes do continente. +1 na abordagem Econômica ou +1 na abordagem Influente;
  • Vale de Arryn: Localizado mais acima, a leste das Terras Fluviais, o Vale é todo cercado pelas Montanhas da Lua, com suas tribos de selvagens. Governado pela Casa Arryn. +1 na abordagem Combativa ou +1 na abordagem Econômica;
  • Terras Fluviais: Lar dos Tully, são terras férteis que ficam entre os vaus do Tridente. +1 na abordagem Econômica ou +1 na abordagem Combativa.
  • Ilhas de Ferro: Um conjunto de sete ilhas dominado pela Casa Greyjoy. Os homens de ferro são belicosos e perigosos em mar. +2 na abordagem Combativa e -1 na abordagem Influente.
  • O Norte: Lar da Casa Stark. Uma região inóspita, pouco povoada, mas com um povo leal aos seus suseranos. +2 na abordagem Honrada e -1 na abordagem Influente.

Aspectos

  1. Escolha um Mote para a sua Casa. Um mote é como um ditado ou frase que define a personalidade de seus integrantes. A Casa Stark, por exemplo, possui o Mote “O Inverno Está Chegando“. Como a Casa Stark reside no Norte e muito próximo da Muralha, suas crenças e motivações têm a ver com o longo inverno – e eles são bem-preparados para isso.
  2. Escolha um Aspecto de Território. Aspectos de Território são referentes ao lugar onde a Casa se encontra. Uma Casa residente no Vale de Arryn, por exemplo, pode ter o Aspecto “Montanhas Intransponíveis“, alegando que as fortificações da Casa são melhores por estarem no alto das Montanhas da Lua.
  3. Escolha um Problema. Como o personagem, sua Casa possui um Aspecto relacionado a uma complicação em jogo. Pode ser “Comunicação escassa” ou ainda “Terras inférteis“.

Abordagens

As Abordagens de uma Casa diferem daquelas apresentadas aos personagens em Fate Acelerado. Elas são mais voltadas para o Jogo dos Tronos e suas facetas.

Ao construir uma nova Casa, você vai possuir uma Abordagem em Ótimo (+3), duas em Bom (+2), duas em Razoável (+1) e uma em Mediano. Abaixo está uma pequena descrição das Abordagens de uma Casa e sua área de atuação:

  • Combativa: Essa Abordagem está relacionada à guerra e aos recursos bélicos de uma Casa. Quanto mais Combativa, maior é o número de tropas disponíveis e equipamento de combate, como espadas, armaduras, etc.
  • Econômica: A Abordagem Econômica está relacionada aos recursos financeiros de uma Casa. Quanto maior, mais dinheiro a Casa tem. Simples assim.
  • Influente: Representa a capacidade de negociação da Casa e seu status junto ao Trono de Ferro. De forma geral, as Casas mais influentes são aquelas mais próximas ao centro do Reino.
  • Honrada: Casas com um valor alto nessa Abordagem prezam os valores morais e familiares. A Casa Stark é um exemplo de Casa Honrada. Uma Casa Honrada está presa a códigos morais, mas é muito mais digna de confiança ao forjar alianças – e muito mais difícil de ser persuadida a desviar-se de seus compromissos.
  • Mística: Lida com questões do oculto e do conhecimento obscuro de Westeros, como wargs, gigantes e o povo da floresta (ou dragões, por que não?). Quanto maior, mais chance de ter contato com esse tipo de conhecimento.
  • Estudiosa: Enquanto a Abordagem Mística lida com fatores ligados à ciência obscura de Westeros, a Abordagem Estudiosa lida com a História, geografia e outras características mais “palpáveis” dentro do cenário. Casas com ênfase na Abordagem Estudiosa conhecem bastante da história dos reinos e suas guerras. Podem ser requisitadas para questões táticas ou análise de eventos durante o jogo.

Façanhas

 As Façanhas de uma Casa estão mais relacionadas a feitos históricos e condições da Casa escolhidos no momento de sua criação. Se utilizarmos os exemplos das grandes Casas de Westeros, veremos nos livros e na série uma dezena de Façanhas interessantes para se basear. Citando como exemplo a Casa Lannister, podemos dar uma olhada em sua história: segundo os livros e outros textos, a origem dos Lannister se dá em Lan, o Astuto, que enganou os Casterly do Rochedo e tomou tudo para si, fundando a linhagem que utiliza seu nome como base. Isso pode gerar Façanhas diversas – você pode dizer que Porque a Casa Lannister nada em ouro, uma vez por sessão de jogo podemos adquirir um recurso para a Casa de forma instantânea.
As Façanhas devem ser combinadas com o Mestre antes de irem para a ficha da Casa.

Como um personagem, uma Casa pode ter inicialmente até três Façanhas de forma gratuita, sem diminuir seus pontos de Renovação por isso.

Renovação (Refresh)

Os pontos de Renovação da Casa – assim como os dos personagens – começam em três. Caso a Casa queira mais Façanhas, pode reduzir normalmente seus pontos, como um personagem o faria: se quiser uma Façanha adicional, seu Refresh se torna dois. Caso queira duas Façanhas a mais, o Refresh se torna um. Não mais que duas Façanhas podem ser obtidas dessa forma, e o Refresh não pode cair abaixo de um.


Bom, com isso encerro o primeiro post de Fate of Thrones. Espero que todos tenham gostado dessa adaptação. No próximo post, regras para criação de personagens. No terceiro post trataremos dos extras para o cenário de Westeros e o último das regras para ações sociais (sem nenhuma referência a Max Weber, savvy?) e caixas de Compostura.

Um comentário sobre “Roupa Nova – Fate of Thrones (1ª Parte)

Os comentários estão desativados.