ku-xlarge

As 24 classes mais constrangedoras de Dungeons & Dragons

Esse texto é uma tradução do artigo original publicado no io9.com, no seguinte link: http://io9.com/the-24-most-embarrassing-dungeons-dragons-character-1524448977

Muitos dos termos utilizados não existem em português, então tive que fazer minhas próprias traduções e adaptações, tentando me manter fiel ao original do D&D e ao mesmo tempo sem perder as piadas.

Não ficou tão ruim!

Divirtam-se!

Guerreiros. Magos. Clérigos. Ladrões.

Essas são as quatro classes básicas no Dungeons & Dragons, e elas tem servido bem ao RPG por mais de trinta anos. Mas há muitas outras além dessas— algumas incríveis, algumas estranhas, e outras apenas ridículas. Aqui estão 24 classes de especialização reais de D&D, que deve obrigar qualquer jogador a fazer um teste de resistência contra vergonha.

1) Fighting Man (Combatente)

No Dungeons & Dragons original, existem três classes: Usuário de Magia, Clérigo e Combatente. Como Gary Gygax achou que “Combatente” fosse melhor que “Guerreiro” nunca saberemos. Um Guerreiro é uma profissão. Um Combatente é basicamente um bêbado violento. Não é de admirar que a classe mudou de nome na primeira oportunidade

2) Beggar (Mendigo)

Isto não é uma piada. O AD&D realmente lhe deu a opção para jogar de propósito com um mendigo. O Mendigo tinha habilidades recomendadas, como “Costureira / Alfaiate.” Eles tinham que ser de alinhamento Caótico. Era sugerido que eles pegassem o traço de imunidade inerente ao frio e calor. Isso é loucura.

3) Peasant Hero (Herói Camponês)

Em um dos melhores exemplos de que a TSR tornava as coisas muito complicadas, eles lançaram a classe Herói Camponês, que para ser justo parecia muito boa em comparação com o Mendigo. Porque isso precisava de seu próprio conjunto de regras, em vez de simplesmente deixar os personagens serem heróis que são apenas heróis, não sabemos. Eu acho que se você realmente queria moldar a origem de seu personagem, o Herói Camponês lhe dava o benefício incrível de obter ajuda de outros camponeses, apesar de nunca fazerem nada de valor, porque eles são apenas malditos camponeses. Heróis Camponeses são basicamente Guerreiros sem dinheiro.

4) Arctic Druid (Druida do Ártico)

Há muitos tipos diferentes de Druidas no Complete Druid’s Handbook  da 2ª Edição – Druida do deserto, Druida Cinza, Druida Selvagem, Druida Montanhês, Druida da Planície e Druida do Pântano, por exemplo. Mas apenas um Druida decidiu celebrar o seu vínculo com a natureza indo para um lugar desprovido de natureza e coberto de neve, e esse é o Druida do Ártico. Claro, eles ganham algumas magias de gelo legais, mas na verdade, esses caras são, basicamente, esquimós mágicos.

5) Defiler (Poluidor)

No mundo de Dark Sun, que é tipo Mad Max Além da Cúpula do Trovão, mas com magia em vez de tecnologia, existem magos malignos chamados Poluidores. Eles sugam a energia da vegetação e de outros seres vivos próximos para ganhar seus poderes mágicos, o que é grande parte do motivo pelo qual o mundo de Dark Sun é estéril e morto. Seria um tipo de “cara mau”, mas você realmente não pode sair por aí chamando a si mesmo de Poluidor sem que alguém ria de você pelas costas.

6) Anchorite (Anacoreta)

Um Anacoreta é um termo real para alguém que tenha se retirado do mundo real para ficar em um lugar e se concentrar em sua religião e espiritualismo. Como um monge, por exemplo. No suplemento de Ravenloft Domínios do Medo (Ravenloft é o cenário de D&D de horror fantástico), um anacoreta ou é um clérigo ou um usuário de magia que perde todas as suas habilidades mágicas caso se aventure mais de 100 metros de seu local escolhido de retiro. Em um jogo que se concentra principalmente em contar histórias de aventuras, talvez você possa ver o problema de jogar com um personagem que não pode deixar o seu quintal.

7) Barbarian Fighter (Lutador Bárbaro)

Eu suponho que esta classe de AD&D segunda edição é um cara que luta de bem pra caramba. Porque caso contrário, ele seria chamado de Bárbaro ou de Lutador, correto?

8) Clown (Bobo da Corte)

No mais esquecido suplemento de Forgotten RealmsCity of Gold, você pode — de propósito — escolher para jogar com um Bobo da Corte, que combina as partes menos interessantes de Ladrões e Bardos e ignoram todas as coisas legais. Então, se você quiser ser capaz de cair e rolar e entreter, mas não roubar, apunhalar ou influenciar as pessoas com a sua música, você certamente é um bobo.

9) Fetishist (Fetichistas)

Pelo lado positivo, no entanto, pelo menos Bobos da Corte não são Fetichistas; O suplemento City of Gold incluiu um novo tipo de magia chamado Fetichismo, que eu não consigo encontrar nada a respeito, porque você sabe o que acontece quando você entra com “masmorras” e “fetichismo” em uma pesquisa no Google? Nada de bom, isso é que é. Vamos em frente.

10) Unicorn Rider (Cavaleiro de Unicórnios)

Do suplemento Elves of Evermeet, que apresenta os resultados de um breve período em que Lisa Frank foi contratada como conselheira.

11) Dandy (Dândi)

Outro suplemento de Ravenloft, Masque of the Red Death, incluiu um grande número de novas classes de personagens para esse mundo de horror, das quais o Dândi não era o pior. Em jogo, o Dândi é um nobre que pode exercer influência social e tem uma grande renda, nenhum dos quais importa quando você pode ser comido por um vampiro a praticamente qualquer momento. E, se eu fosse um vampiro em Ravenloft, a primeira coisa que eu faria é sair por aí matando todo mundo que voluntariamente decidiu ser chamado de Dândi.

12) Laborer (Trabalhador)

Mas você pode ser um Trabalhador no Red Death, que era como um Dândi, exceto que você não tinha influência social e nem dinheiro, mas você poderia construir algumas coisas e você teve orgulho, pelo menos o suficiente, para não sair por aí chamando a si mesmo de Dândi. Quem diabos estaria disposto a jogar com essa classe?

13) Thug (Bandido)

Bandidos são, basicamente, Guerreiros que começam o jogo procurados pelas autoridades locais. Massa. Será que isso realmente precisa ter sua própria classe, TSR? Não poderia o jogador e o mestre apenas concordarem que fosse parte da história do personagem? Ou, Deus perdoe, deixando o jogador fazer alguma coisa no jogo que iria ganhar a ira da polícia? Na verdade, a minha coisa favorita sobre a classe Bandido é que na 2ª Edição, personagens ganham pontos de experiência quase que exclusivamente por matar coisas, então praticamente todos os personagens eram Bandidos, independentemente de sua classe.

14) Pest Controller (Controlador de Pragas)

Essa é exatamente o que parece, mas você deve saber que esta é uma classe do The Complete Book of Dwarves. Eles são anões que se especializam em um conjunto de habilidades bizarras e não-particularmente-aplicáveis à aventuras, ou seja, livrar sua fortaleza dos anões subterrânea de pequenas pragas, como o livro diz. Massa. Incrível.

15) Rapid Response Rider (Cavaleiro de Resposta Rápida)

Estes são essencialmente a versão anã da cavalaria, o que teria sido um nome muito melhor, pois Cavaleiro de Resposta Rápida imediatamente implica que eles têm sirenes brilhantes em suas cabeças. Eles costumam montar pôneis ou mulas, e o livro diz que poucas fortalezas anãs os empregam, porque mesmo o cenário fictício sabe que isso é ridículo.

16) Ghetto Fighter (Guerreiro do Gueto)

NÃO. APENAS. NÃO. Outra classe especialista de Anão completamente insana e desnecessária, que incluiu as seguintes linhas em sua descrição:. “O Guerreiro do Gueto nunca esquece suas origens humildes e podem guardar ressentimentos contra os anões que estão em melhor situação. No entanto, ele permanece fiel às suas raízes, e vai tentar  melhorar as vidas das crianças do gueto.”

17) Goblinsticker (Impala-Goblins)

Não contente em deixar que os anões monopolizassem todas as classes de personagens bizarras, o livro The Complete Book of Gnomes and Halflings introduziu o Impala-Goblin, que são, basicamente, gnomos insanos determinados a cometer Goblincídio e Koboldicídio. O livro sugere que esses caras são motivados por alguma tragédia no passado, o que fazem deles os Batmans do D&D, o que é muito legal até que você se lembrar que eles chamam a si mesmos de Impala-Goblins.

18) Mouseburgler (Ladrão Roedor)

Estes são uma especialização de Ladrão para Gnomos e Halflings, mas eles são chamados de Ladrão Roedor. Porque os ratos são roedores e são pequenos, e eles são pequenos. Pegaram? PEGARAM? Inferno, mesmo uma classe que, especificamente rouba coisas de roedores seria mais interessante.

19) Mine Rowdy (Capataz das Minas)

Não é um elfo, anão, gnomo ou halfling? Então você pode ter ido parar no The Complete Book of Humanoids, o ponto onde TSR estava claramente sem idéias, mas continuava a produzir o maior número de suplementos possíveis. Conheça o Capataz das Minas, que é um Guerreiro especializado em trabalhar nas minas e bater nos prisioneiros que tentem se revoltar ou parar de trabalhar. Massa. Isso foi super necessário, gente. Eu realmente queria jogar com um Guerreiro, mas eu estava procurando uma maneira de ter certeza que ele receberia -1 para lutar fora de túneis subterrâneos, então isso é perfeito!

20) Lost Druid (Druida Perdido)

Do The Complete Druid’s Handbook, é claro. Druida Perdido realmente soa muito legal – eles são druidas cujas terras foram completamente destruídas, então dedicam suas vidas a se vingar. Então eles são formidáveis ​​Guerreiros, mas geralmente perdem sua magia druídica em troca. O QUE OS TORNA OUTRO MALDITO GUERREIRO.

21) Pacifist (Pacifista)

Bem, você não pode dizer que esta classe Druida é um Guerreiro. Na verdade, eles se recusam a lutar. Este não é realmente um mau conceito de personagem… para outros jogos de RPG. Mas, novamente, AD&D 2ª Edição é um jogo focado quase inteiramente sobre assassinar coisas, de modo a obter mais pontos de experiência para obter mais poderes para ser capaz de matar mais coisas, e pegar o seu ouro para que possa obter o melhor equipamento, a fim de ser mais eficiente em assassinar coisas. Como um Druida Pacifista vai além do Nível 1 não faço ideia.

22) Mountain Man (Homem da Montanha)

Sinto muito, Complete Book of Rangers, mas um Homem da Montanha é apenas um vagabundo da floresta. Ponto.

23) Paladin of Slaughter (Paladino da Matança)

Esta classe da 3ª edição tentou com força demais. Em primeiro lugar, a ideia de alguém tão completamente dedicado ao mal como paladinos comuns são ao bem é um absurdo, mesmo para D&D. Em segundo lugar, paladino como termo de D&D é um cavaleiro heroico e santo, então esses caras são chamados essencialmente de “heroicos cavaleiros sagrados do abate”. Isso é como existir um “super-herói da morte.” O mais ridículo desses caras é que, como paladinos, eles perdem todos os seus poderes se não cometerem constantemente atos de maldade. Quanto mal você poderia realmente realizar, se você está constantemente tirando doce de bebês e  impedindo velhinhas de atravessar a rua?

24) Urban Druid (Druida Urbano)

Estes membros desta classe da 3.5 celebram a natureza… ficando a um inferno de distância dela. Inferno, pelo menos os Druidas do Ártico podem ocasionalmente encontrar um pinguim ou algo assim. É evidente que esta é apenas uma apelação para deixar os jogadores terem poderes de Druida, ignorando tudo o mais sobre druidas, o que sou totalmente a favor, mas mesmo digitando isso soa desagradável. Esses caras são os hipsters dos Druidas. “Sim, eu gosto da natureza, beleza, mas depois, todos esses outros druidas apareceram e arruinaram tudo, então eu vim para a cidade para manter minha cabeça no lugar. Talvez começar uma banda ou algo do tipo…”

4 comentários sobre “As 24 classes mais constrangedoras de Dungeons & Dragons

  1. Druidas Urbanos … Quem sabe se transformar em um cachorro pra brincar de A Dama e o Vagabundo? Kkkkkkk

  2. Hahaha, o Druida Urbano é a coisa mais ridícula e patética que já ouvi em nosso meio… ganha de longe até do mendigo…

  3. Paladino da Matança seria o algoz tipo o inverso do paladino não? Mas sinceramente ter o nome de paladino já contradiz com o nome matança… kkkk Boa matéria principalmente na impala-goblins auhsausahuash gnomos podem ser fodas agora e não apenas pequenos… kkkkkk

Os comentários estão desativados.