Resenha: Mouse Guard RPG

mouseguard

Salve todos os que são capazes!

Qualquer rato pode,

Qualquer rato deseja…

Mas a Guarda triunfa!

Aiya meldar!

Primeiramente eu queria pedir desculpas aos inúmeros leitores do ZUADA!, pois meu afastamento súbito em 2012 ocorreu por fatores catastróficos: alinhamento dos planetas, previsão dos Maias… enfim, muita coisa ocorreu nesse ano turbulento e sofri pesadas baixas na minha vida.

Claro, estou de volta, abrindo 2013 com mais resenhas sobre jogos perdidos e seus sistemas maravilhosos! E este, claro, não podia faltar…

Ratos Sentinelas

Mouse-Guard-Fall-1152-HC-003

Em Mouse Guard, ratos lutam para prosperar em um ambiente hostil e repleto de predadores. Para evitar tragédias, foi formada a Guarda do Rato – mais que meros soldados, a Guarda do Rato serve de guia em estradas perigosas que ligam suas vilas umas às outras.

Publicado em 2008, Mouse Guard Role-Playing Game traz o mundo fantástico dos quadrinhos de David Petersen às mesas de jogo. Com um sistema simples, baseado no aclamado Burning Wheel, de Luke Crane (que também é o autor do sistema de Mouse Guard), o jogo evita que a partida seja meramente um encontro de roedores e predadores com armas na mão, focando na interpretação e na criatividade para resolver determinados eventos. De fato, muitas características em Mouse Guard dizem respeito à interpretação, como Instintos, Objetivos e Crenças. Literalmente falando, em Mouse Guard o que importa não é com quem você luta, e sim pelo quê…

Tudo Gira em Torno Disto…

Mouse Guard possui regras muito simples para a resolução dos conflitos. O livro é cheio de dicas e ícones para facilitar a leitura e dinamizar a compreensão de como as aventuras funcionam no sistema.

Mouse Guard usa dados de seis faces para todos as rolagens, onde cada dado conta como um sucesso ou falha. Os valores de 1 a 3 são considerados “covardes” (pois traem a causa do jogador e atrapalham o jogo). As jogadas de 4 a 6 são consideradas “sucessos” – e quanto mais, melhor! O sistema contém uma margem de sucesso e falha, onde a quantidade também influencia nas ações do personagem.

A Guarda do Rato

Após apresentar as regras básicas, o livro conta a história da Guarda do Rato e sua principal cidade, Lockhaven. Em seguida, detalha o juramento da Guarda e seus deveres. Após uma aula de honra e dever para com a comunidade, o leitor passa a conhecer as regras básicas de criação de personagem.

As Habilidades de um Rato da Guarda são divididas em Raw Abilities (Habilidades Naturais) e Special Abilities (Habilidades Especiais). As Naturais são três: Natureza, Vontade e Saúde. A Natureza determina as qualidades e tendências naturais de um personagem. No caso da Guarda do Rato, a Natureza do personagem será sempre Rato. Cada animal possui seu próprio tipo de Natureza e, com ela, habilidades inerentes. A Vontade é a habilidade para interação mental e social dos Ratos. E por último, Saúde, que representa a resistência física do personagem.

Outras características pertinentes, como Skills, são explicadas detalhadamente em outros capítulos. Um fator interessante é que cada Rato deve definir quem são seus Pais, Mentores e Artesãos-Chefes, que influenciam nos recursos que o personagem pode adquirir durante o jogo.

É Pelo Que Lutamos…

1cover

O jogo e o sistema de recompensas gira em volta do comportamento do personagem durante o jogo. É através das Crenças, Objetivos e Instintos do personagem que a interpretação do jogador é avaliada. Ao final de cada aventura, os jogadores lêem as descrições das Crenças, Objetivos e Instintos e os outros decidem se a interpretação foi válida ou não para que o jogador seja recompensado. Eu fiz uma adaptação para minhas campanhas de Star Wars que se baseia nesse sistema, embora seja mais ampla e não dependa de características ligadas diretamente aos personagens dos jogadores.

Finalizando, Mouse Guard é um sistema interessante. Vale a pena pela beleza das ilustrações (feitas pelo próprio David Petersen, algumas nem estão nos quadrinhos!) e pelo fato de que ganhou do D&D4E em 2009 no Origin Awards como melhor RPG – sem contar que foi nomeado três vezes para o ENnie Awards na GenCon de 2010. Nada mal para um RPG Indie, não é verdade?