Vários Anéis

Anéis Mágicos para Old Dragon

Bem vindos ao primeiro post-conjunto do ZUADA!. Pra inaugurar esse tipo de postagem, nosso blog está junto com o Die Dragons Die, do mestre Paulo Henrique Leme! Aqui você encontrará muitos anéis mágicos “normais”, que aventureiros conseguem em qualquer esquina; Lá, você vai conhecer anéis poderosos, lendários e icônicos! Não deixe de ler!

Esses itens são o foco da SEGUNDA maior saga de fantasia já escrita – de acordo com os fãs de Martin. Mamilos à parte, sempre gostei de presentear os meus jogadores com esses itens mágicos. O que pra mim torna os anéis tão atraentes é a carga dramática que eles podem trazer. Uma simples argola de aço ou metal valioso, capaz de invocar grandes meteoros do céu, ou de regenerar partes completas de um corpo. Até mesmo um simples “Anel de Proteção” tem essa carga dramática: Imagine o poderoso bárbaro desferindo um golpe cruel de seu machado infalível sobre o aparentemente desprotegido mago – e errando miseravelmente, obtendo um sorriso oblíquo de desprezo do mago como resposta à sua indagação silenciosa…

A tradição do Dungeons & Dragons me disse que apenas DOIS desses itens podem ser utilizados de cada vez – um em cada mão. É isso mesmo, apelão: nada de colocar anéis mágicos nos dedos dos pés, no CHIFRE (caso seu personagem seja minotauro ou… outra coisa), ou mesmo no SEPTO (até mesmo quem não é minotauro pensou nesse…). Não estou com o Livro do Mestre aqui para dizer como era do AD&D.

Mas tenho coisa melhor! Tenho o Old Dragon!

No diabinho vermelho da Redbox Editora, mais precisamente na página 109 do módulo básico, ficamos sabendo que o personagem não pode usar mais do que um anel por vez, sob o risco de sofrer um nível negativo e ter ambos os efeitos desativados. Além disso, lemos que “não é o portador que escolhe o anel, mas sim é escolhido pelo anel. Um anel que se identifica com os atos de seu portador não é perdido ou arrancado com facilidade, ao passo que um anel cujas características são incompatíveis com as de seu portador geralmente se perde ou desaparece, como se o item tivesse vontade própria”.

Qualquer semelhança é de propósito!

Pois bem. Tendo em mente essas limitações (mas não nos atendo muito à elas!), vamos colocar aqui anéis mágicos que podem ser encontrados por jogadores em suas aventuras. Para saber mais sobre anéis icônicos e clássicos da literatura e história, recomendo mais uma vez o post irmão deste, no Die Dragons Die!

NOTA: Alguns anéis foram retirados da revista Só Aventuras #1, do artigo “Enchendo os Dedos” e adaptados. Outros são apenas chupinhação mesmo…

____________________________________________________________________________________

Anel da Lotação (Ordeiro)

Esse anel foi criado por um mago inconformado, que tinha muitos anéis mágicos, mas não podia usar mais de um por vez; O Anel da Lotação permite que um personagem utilize até QUATRO anéis ao mesmo tempo, inibindo o efeito de cancelamento de poderes e de perda de níveis. Caso o Anel da Lotação seja retirado e usuário esteja usando mais de um anel mágico, os anéis remanescentes deixam de fazer efeito e o personagem sofre a perda de nível normalmente.

Anel de Eletricidade (Caótico)

Uma mão na roda para magos e guerreiros! Esse anel pertenceu ao anão Firalddimm, herdeiro da Casa de Rocha, mas ele alega que o perdeu na pia de uma estalagem (cujo nome ele não lembra) durante as Guerras do Rei. Três vezes por dia, ao pronunciar as palavras de comando “Tzac, Ignomius!” (que significam “Frite, Lazarento”, em idioma antigo) essa argola de metal azulado é capaz de emitir uma forte descarga elétrica num alvo ou objeto tocado pelo usuário, causando 1d8+3 de dano. Para alvos usando armaduras e/ou escudos metálicos, ignore os bônus destes itens no cálculo da CA. Inimigos portando armas ou outros itens de metal condutor (ou mesmo dentro d’água) sofrem 3d8+9 de dano, ao invés de 1d8. A desvantagem é que o usuário sofre metade desse dano elétrico. O truque: Se você atingir um inimigo com uma arma de metal ou outro material condutor, pode escolher liberar a carga ao mesmo tempo! Ou seja: dano da arma + dano de eletricidade.

Anel dos Itens (Ordeiro)

O responsável pela existência desse anel é o ladino conhecido no submundo como Devon “Mad” Maguirre. O “Louco” Maguirre precisava esconder itens pequenos ou;/produtos de furtos rapidamente das vistas das autoridades, então pagou uma montanha de ouro à um mago para que criasse esse item (contam as lendas que ele depois matou o mago para recuperar as milhares de peças de ouro gastas, mas a informação não é verificável). Ao comando do usuário, um item do tamanho máximo de uma montante (cerca de 2m de comprimento) e que ele esteja segurando, desaparece e fica “armazenado” no Anel dos Itens. Para trazer o item de volta ao tamanho normal, basta o usuário estar com a mão onde está anel livre e assim o comandar. Se por alguma razão física o item não puder aparecer (dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço, lembram?), o comando é cancelado.

Anel das Estrelas Cadentes (Caótico)

O único desses anéis vistos em ação estava nos dedos de Agairon, o Deus-Bruxo. Seu poder de destruição foi usado contra os Cavaleiros Audazes, corajoso (e falecido) grupo de aventureiros que desencadearam uma vingança mal-sucedida contra o lich. Estudiosos afirmam que Agairon não tinha o conhecimento para criar esse anel, o que os leva a crer que devam existir outros deles. O Anel das Estrelas Cadentes tem dois efeitos, lançados como um mago de 18º nível:

1- Três vezes por dia, pode lançar uma magia Bola de Fogo (página 76 do Old Dragon).

2- Uma vez a cada sete dias, pode lançar uma Chuva de Meteoros (página 78 do Old Dragon).

Anel dos Espinhos (Ordeiro)

Capaz de controlar plantas e galhos aguçados, o anel dos espinhos não é criado pelo homem, afirmam os Druidas; A natureza presenteia seus fieis devotos com um deles, fazendo-os brotar do chão no momento apropriado. Uma vez por dia, o usuário pode invocar quatro “tentáculos” – cipós, galhos, hera – que lutarão em seu lugar num combate. A única restrição é que o usuário deve estar em contato com a natureza, como um chão de terra, numa floresta ou até mesmo no mar. Os tentáculos surgem à partir de qualquer matéria inanimada, como árvores, corais e até corpos de animais mortos (pedra e rocha não contam). Um tentáculo tem base de ataque igual ao do usuário +2 e causa 1d8+4 de dano. Cada tentáculo pode realizar uma ação por turno, e possuem CA 18, 15 pontos de vida, podendo ser destruídos apenas com fogo ou ácido. Ao final de um combate, ou se o usuário realizar outra ação que não controlá-l0s, os tentáculos apodrecem e morrem.

Anel do Gelo (Ordeiro)

É um pouco mais poderoso que um simples Anel de Resistência ao Frio; além da proteção que ele fornece contra esse tipo de ataque, uma vez por dia pode lançar uma magia Tempestade Glacial (página 100 do Old Dragon) como um mago de 10º Nível. Os usuários desse anel sofrem um pequeno efeito colateral enquanto o usarem: Eles precisam consumir o dobro de comida e água que uma pessoa normal consome normalmente. Esse efeito cessa um dia após o anel ser retirado.

Anel da Regeneração Vampírica (Caótico)

Esse anel com uma joia cor de sangue funciona inicialmente como um Anel de Regeneração Ordeiro de nível 1 (página 112 do Old Dragon). A partir do momento que o usuário matar um ser vivo, e ele mostra sua verdadeira natureza…

O fator de regeneração muda para 4 por turno, mas exige que o usuário mate um ser vivo por dia, em combate. A cada dia que isso não acontecer, o usuário tem sua Constituição diminuída em 1, morrendo caso sua CON chegue á zero. Essa redução some à taxa de 1 ponto por dia após o personagem voltar a matar, e permanece mesmo que o personagem tire o anel.

Anel Amplificador (Ordeiro)

A Arquimaga Reveka Ravenport era conhecida por seu exagero. Certa vez, utilizou uma bola de fogo controlável para matar uma barata. Costumeiramente acendia as fogueiras e tochas do acampamento com muralha de fogo. Quando percebeu que sua colega não batia bem, o Elfo Gellandriard forjou o Anel Amplificador e deu-o de presente à maga.

Uma vez por dia, o usuário desse anel pode escolher maximizar um efeito na rodada – seja ele o dano de um ataque, de uma magia, ou qualquer outro efeito que necessite de uma rolagem de dados.

Ah, você quer saber COMO isso ajudaria Reveka a se conter? Gellandriard imaginava que ela se contentaria em acender as coisas com uma simples mãos flamejantes

___________________________________________________________________________________________

Agora que você terminou esse, clique AQUI e leia o post sobre anéis icônicos no Die Dragons Die!

Aproveitem! Inté!

Um comentário sobre “Anéis Mágicos para Old Dragon

  1. Muito bom o material, grande Big. Gostei que você até arrumou imagens superlegais pros aneis! Isso faz uma falta imensa nos itens mágicos dos livros (até do meu, hehehe).

Os comentários estão desativados.