Férias para seus Guerreiros

De preferência, de Havaianas

Aproveitando logo esse primeiro dia do ano modorrento, vamos abrir os trabalhos em 2012. já que hoje é Dia da Confraternização Universal, trago a vocês algumas elucubrações que fiz sobre feriados em mundos de fantasia medieval.

Muita gente aproveita datas comemorativas como Natal, Reveillon, etc, para trazer posts temáticos em seus blogs. Nada contra. Afinal, blogs são pra isso mesmo, posta o que quiser e lê quem quer. Campanhas de RPG também. Acho até bem criativa essa iniciativa, mas tirando os mundos inspirados em Crônicas de Nárnia (ou no nosso mundo real), não vejo motivos para se festejar o 25 de dezembro Arton ou Toril, por exemplo. Até brinquei com isso num post meu no RPG do Mestre. Num mundo medieval voltado para a agricultura e pecuária, geralmente não existia nem dias de folga (como os domingos), quanto mais uma folguinha de fim de ano…

Aí vem a questão: e se comemora alguma coisa? O cidadão comum, ou mesmo o aventureiro, tem motivos pra deixar a espada ou a enxada de lado e comemorar?

Um dos primeiros posts do ZUADA!, e até hoje um dos mais acessados (sem querer, com certeza) é sobre Feiras Medievais (AQUI). Aquele post foi inspirado no Carnaval. Mas o caso é diferente agora. Imaginei que uma das possíveis datas comemorativas poderia ser o fim de uma grande guerra. Um conflito sangrento chegando ao fim depois de vários meses ou anos pode ser motivo de comemorações. Claro, se o povo em questão está do lado vencedor…

Isso me lembra feriados cívicos, como a Proclamação da República ou da Independência. O mesmo vale para cidades ou países medievais, mas com um gostinho que só um cenário desses tem: O nascimento do Rei, do herdeiro do trono, ou de um grande Ditador (o aniversário de Hitler era feriado nacional na Alemanha nazista, sabia?) podem fazer os seus jogadores perceberem que seu mundo é mais do que o local onde eles se aventuram.

Feriados religiosos tem tudo a ver com o tema, principalmente em mundos onde há vários deuses e poderes menores. Além do feriado em si, os rituais próprios de cada deus ou religião podem dar ideias para uma aventura ou para um arco de aventuras. Por exemplo, um deus da natureza ou da caça poderia exigir uma grande caçada à noite (Lobisomem, estou olhando pra você!). Um deus maligno ou da morte pode exigir um sacrifício (clássico!). Ou quem sabe uma noite de “gostosuras ou travessuras” não tão inofensiva, obrigando os heróis a lidar com o problema.

________________________________________________________________________________

E esse foi o primeiro post do ano, pessoal! Estou ainda no aguardo de retomar um de meus projetos de criação, mas preciso da ajuda de vocês pra escolher qual deles vou fazer! Como faz? Clica NESSE link, leia a postagem, entenda meu dilema e vote!

Inté!