Doenças

Já está sentindo dor de cabeça?

Aprofundando-me no conceito de fazer com que um mundo fantástico seja algo “vivo”, trago esse post sobre como utilizar doenças (quase) comuns no seu cenário de campanha.

Todos sabem que a maioria dos sistemas de jogo trazem aquelas doenças tenebrosas (e mágicas, na maior parte das vezes), que afligem os personagens mais do que alguns monstros. Afinal, não dá pra vencer um resfriado com uma espada! Minha intenção é criar mecânicas que possam ser usadas para doenças pequenas, as vezes bobas – mas que coloquem um gostinho e realismo em seu mundo.

Falando nisso, a primeira coisa que você precisa saber é que, ao menos que esteja jogando um GURPS utilizando todas as regras de realismo que esse sistema proporciona, você não deve ficar perdendo tempo com detalhes como a temperatura do corpo do personagem e a chance em porcentagem de sua doença ser transmitida para outros. O ideal é que essas doenças surjam baseadas apenas no que os personagens façam ou deixem de fazer, numa relação de “causa e efeito”, sem muita interferência das regras do jogo em questão – no máximo, um teste de resistência para evitar, ou para ficar curado.

O primeiro exemplo que dou é o simples e básico Resfriado. Quando seus personagens passarem vários dias num ambiente frio e quase sem conforto, surpreenda-os deixando gripados! Nesse estado, o jogador é obrigado a, uma vez por dia, jogar novamente um dado de qualquer teste que tenha sido bem-sucedido. Um resfriado dura 1d3 dias.

Outro exemplo é o de calos e reações alérgicas. Essas mazelas podem ser perfeitas para afetar aqueles guerreiros que usam a armadura até pra dormir! Simplesmente diminua 1 quadrado, 1,5m, ou qualquer que seja a unidade básica, do movimento dele enquanto não se tratar. Isso vai deixá-lo incomodado, principalmente se o movimento tático for importante no seu jogo.

Uma simples Febre também pode aumentar o realismo. Como? Enquanto seu personagem febril não descansar o suficiente, torne os testes que envolvam concentração e cérebro mais difíceis – como Vontade, Inteligência, Perícias, IQ… sabe como é, febre muito alta pode causar delírios!

Agora, se quiser botar pra quebrar, espalhe uma boa e eficaz Peste Negra no seu mundo de campanha! Essa doença macabra, que mais tarde ficou conhecida como “Peste Bubônica” e atormentou a Europa no século XIV, ataca o corpo dos infectados até que eles morram ou que apareça uma cura adequada. Simplesmente remova um ponto de vida/ferimento, ou coisa que o valha, por dia. Esses pontos de vida não podem ser curados POR NENHUM MEIO que não seja uma intervenção divina direta, até que o doente seja curado. A disseminação de uma pandemia desse tipo (e a descberta de uma cura) pode ser inclusive o foco de uma campanha ou arco de estórias.

Mas se o seu grupo tem um paladino, com aquele poder chato que ele nunca usou, de curar doenças uma vez por semana, a coisa pode começar a ficar interessante quando ele tiver DEZENAS de pessoas para curar…

Até a próxima!

Um comentário sobre “Doenças

  1. Rapaz é uma proposta interessante, existem outros efeitos em doenças interessantes, como a própia alucinação ou desorientação. Se usados com moderação e de forma correta pode ser um dos inimigos mais temidos de uma campanha. Abraços

Os comentários estão desativados.