Equipamentos de Jogo, parte V: Mapas

Onde estou?

Quinta parte dessa longa série sobre acessórios de jogo, e dessa vez, falaremos de mapas, criados ou comprados. 

Esse post já fala de acessórios não-tão-essenciais-assim; Mesmo porque, para quem joga sistemas como Storyteller ou Daemon, por exemplo, os mapas são, na maior parte do tempo, figuras apenas ilustrativas – como o domínio do Príncipe, ou os bairros mais importantes da cidade. 

Agora, no caso de D&D, eles sempre estiveram presentes: Seja como um elemento de enredo, ou como ferramenta essencial, os mapas e matrizes de combate fazem parte da maioria dos jogos de fantasia. Na terceira e quarta edição, então, nem se fala! 

Na primeira categoria, tenho alguns bons exemplos: Os belos mapas-pôsteres que vieram no Forgotten Realms da Abril, ou mesmo no Undemountain, fizeram (e ainda fazem) parte do arsenal de muitos mestres, principalmente daqueles que, como eu, tem mais do que 15 anos (de RPG, não de idade!).

 

Já na segunda, os chamados “grids”, são variados demais para dar exemplos: Desde os hexagonais de GURPS, passando pelos Tiles da 4E, e pelos grids feitos artesanalmente pela galera. Inclusive, estou tentado à fazer um usando um quadro branco, seguindo a receita que encontrei na SpellRPG (link AQUI). 

Apesar de estar tentando aprender a usar progamas de criação de mapas – como o Dundjinni e o Dungeon Crafter – na maior parte das vezes é melhor pegar mapas prontos. O site da Wizards tem o Map-a-week, uma grande coleção de mapas belamente ilustrados, do tempo da 3.0/3.5. Escolha o seu e seja feliz! 

 

Mas se você é como o BIG aqui, que quer saber apenas em que lugar da dungeon estão os personagens, sem se preocupar muito com estética, simples: Use as boas folhas quadriculadas! Escola véia RULES! 

Alguma coisa mais pra se dizer sobre mapas? Solte o verbo! 

Até! 

VEJA TAMBÉM: 

Parte I: Livros 

Parte II: Dados 

Parte III: Fichas 

Parte IV: Marcadores

4 comentários sobre “Equipamentos de Jogo, parte V: Mapas

  1. O que não consigo encontrar nem ferrando para comprar é aqueles mapas que todo mestre de D&D 4ed usa, aqueles mapas quadriculados gigantes que voce pode só riscar com caneta especial (entenda como: Caneta eu nao sei o nome).

    Procurei em tudo que é loja e nao encontrei, se alguem souber onde posso arrumar, me avisem. E antes que alguem fale. Não eu nao quero aprender a fazer um em casa, eu nao tenho paciencia, eu nao tenho vontade, eu quero comprar.

  2. Cara nao fala assim… vc quer q os mais jovens parem de te ler????
    Eu tenho esses mapas. FR e Underdark… todos.
    Zueira a parte, eu acho que os mapas são deveras importantes independente de qual sistema você usa… mesmo que seja Storyteller os mapas ajudam a situar os jogadores onde seus personagens estão.
    Mapas não devem ser utilizados apenas para questões táticas, podem ser utilizados como reforço na interpretação dos personagens já que eles vendo os locais por onde seus personagens passaram eles podem criar mais memorias e outros fatos sobre seus personagens..

    1. Particularmente nao gosto de usar mapas para interpretação por uma questão muito simples, acredito que os mapas dao uma limitada na interpretação, o cara fica muito preocupado em olhar para o mapa, para a miniatura e contar quantos quadrados esta a casa dele da taverna que acaba se esquecendo de coisas simples como por exemplo aquela rua deveria estar CHEIA de gente naquele horario. O que faria o tempo de caminhada até a taverna ser um pouco maior que os quadrados.

      Nem só isso, quando se usa mapas para interpretação os jogadores tendem a olhar muito para o mapa e se preocupar pouco com a interpretação do mapa, eu particularmente gosto de usar a interpretação como mapa para dar dicas aos aventureiros e se eles nao prestarem atençao vao se dar mal.

      Então mapa é bom ser usado? Sim a todo momento, mas com um cuidado redobrado.

Os comentários estão desativados.